seguinte
anterior
itens

Article

Tornar os transportes mais sustentáveis na Europa

Mudar de idioma
Article Publicado 2022-07-07 Modificado pela última vez 2022-07-19
4 min read
Topics:
Os transportes permitem interligar pessoas, lugares, culturas e economias, mas também exercem enormes pressões sobre o ambiente e o clima. Conversámos com dois peritos em matéria de transportes e ambiente da Agência Europeia do Ambiente (AEA) — Rasa Narkeviciute e Tommaso Selleri — sobre os desafios e as oportunidades para tornar o sistema de transportes europeu mais sustentável e sobre o relatório que publicámos recentemente.

Do que trata o «relatório TERM» da AEA? 

Tommaso:

«TERM» significa Sistema de Relatórios sobre Transportes e Ambiente. Trata-se de um relatório anual da AEA que analisa amplamente as tendências e os desafios no sistema de mobilidade da Europa. Oferece igualmente uma avaliação anual do setor dos transportes, destacando o que está a melhorar e os aspetos em que ainda trabalho a fazer. 

O relatório TERM constitui uma parte importante do nosso trabalho de apoio às ambições da Europa em matéria de ambiente e de clima. Até à data, o sistema de mobilidade tem tido apenas um êxito limitado na redução das emissões e na transição para modos de transporte mais sustentáveis. O conhecimento oportuno e praticável, tal como o que é apresentado nos relatórios TERM, constitui uma parte fundamental da orientação do processo no sentido da sustentabilidade. 

Quais foram as principais conclusões do mais recente relatório TERM? 

Rasa: 

A mudança prevista para a eletrificação dos transportes contribuirá para reduzir as emissões. 

Rasa Narkeviciute

O relatório TERM de 2021 começa com o facto de que os transportes são responsáveis por cerca de um quarto das emissões de gases com efeito de estufa da UE. O transporte rodoviário representa a maior parte destas emissões, que também aumentaram quase 30 % nos últimos 30 anos. 

Com as medidas políticas existentes, prevê-se que as emissões dos transportes diminuam, mas não o suficiente para que o setor contribua suficientemente para o objetivo de neutralidade climática até 2050. 

As emissões dos automóveis e dos veículos pesados de mercadorias, dos camiões, aumentaram principalmente devido ao aumento da procura de transportes. Os próprios veículos tornaram-se mais eficientes, com menos emissões por cada quilómetro percorrido, mas não o suficiente para compensar a atividade crescente. 

O que é preciso acontecer para alterar a tendência de aumento das emissões? 

Rasa:

A mudança prevista para a eletrificação dos transportes contribuirá para reduzir as emissões. Mas isto significa também que a produção de energia e a sua eficiência se tornarão cada vez mais importantes. É importante que as emissões não sejam simplesmente transferidas da estrada para uma central elétrica noutro local, mas que façamos os investimentos necessários nas energias renováveis. 

A fim de contribuir para uma maior sustentabilidade do setor dos transportes, a eletrificação terá de ser associada a mudanças na forma como organizamos o nosso sistema de mobilidade. É necessária uma mudança para modos mais sustentáveis, bem como garantir o enfoque não na atividade dos transportes, mas também na acessibilidade de empregos e serviços. Para isso, são necessárias políticas abrangentes. Por exemplo, o planeamento urbano pode garantir espaço suficiente para infraestruturas de ciclismo, ao mesmo tempo que localiza serviços, atividades comerciais e áreas residenciais mais próximos uns dos outros. 

Que medidas adotaram a UE e os Estados-Membros em resposta a estes desafios? 

Rasa: 

O Parlamento Europeu apoiou recentemente o objetivo proposto de alcançar zero emissões dos automóveis e furgonetas novos até 2035. Se os Estados-Membros também concordarem, isto significará uma grande diminuição das emissões geradas nas estradas europeias nas próximas décadas. 

A Estratégia de Mobilidade Sustentável e Inteligente também contém objetivos relacionados com a transição para modos de transporte mais sustentáveis. Neles estão incluídos objetivos para aumentar o tráfego ferroviário de alta velocidade, o tráfego ferroviário de mercadorias e a navegação por vias navegáveis.   

Que outros trabalhos está a AEA a desenvolver em matéria de transportes? 

Rasa:

A AEA recolhe grandes quantidades de dados relacionados com veículos e combustíveis provenientes de países europeus e de fabricantes de veículos. Estes incluem dados sobre novos automóveis, furgonetas, camiões, autocarros e reboques registados na UE, que nos permitem avaliar a eficiência da nova frota de veículos. Também recolhemos dados sobre os combustíveis utilizados nos transportes rodoviários e nas máquinas móveis na Europa. Estes dados incluem o tipo e a quantidade de combustíveis utilizados, bem como as emissões associadas à extração, à transformação e à distribuição desses combustíveis. No caso dos biocombustíveis, analisamos também os efeitos das alterações indiretas da utilização dos solos. 

Analisamos estes dados para acompanhar os progressos alcançados no sentido da consecução das metas políticas por meio de avaliações regulares de indicadores que compartilhamos publicamente no nosso sítio Web. Para além de utilizarmos os nossos próprios dados, preparamos também indicadores relevantes para as políticas com base em dados mais abrangentes da AEA ou externos, por exemplo, as emissões de gases com efeito de estufa provenientes dos transportes e, ainda este ano, a quota de autocarros e comboios em todo o setor dos transportes. 

Tommaso: 

A AEA está igualmente a trabalhar noutros domínios do sistema de mobilidade e dos transportes. Algumas das atividades adicionais que estão a decorrer neste momento dizem respeito aos setores marítimo e da aviação, onde estamos a preparar novas edições de relatórios setoriais específicos, em colaboração com os nossos parceiros de outras agências da UE. 

Trata-se do relatório ambiental sobre o transporte marítimo europeu, em colaboração com a Agência Europeia da Segurança Marítima, e do relatório ambiental sobre a aviação europeia, em colaboração com a Agência da União Europeia para a Segurança da Aviação e o Eurocontrol (Organização Europeia para a Segurança da Navegação Aérea). 

Qual é o tema do próximo relatório TERM da AEA? 

Tommaso: 

Neste momento, estamos a trabalhar na próxima edição do relatório TERM com o objetivo de o publicar ainda este ano. Incidirá sobre o vasto tema da digitalização no sistema de mobilidade e explorará muitas inovações possibilitadas pelas tecnologias digitais e a forma como estas podem ter impacto no setor, no ambiente e nas nossas vidas. 


Rasa Narkeviciute e Tommaso Selleri, peritos da AEA em matéria de transportes e ambiente

Permalinks

Geographic coverage

Temporal coverage

Topics

Topics:

Categorias

classificado em:
classificado em: term, transport
Ações do documento