Ferramentas Pessoais

seguinte
anterior
itens

Saltar para conteúdo principal | Ir para navegação

Sound and independent information
on the environment

Você está aqui: Entrada / Artigos / Artigos

Artigos

Mudar de idioma
Os princípios básicos da economia e o ambiente

Em março de 2014, ocorreu em Paris, França, um grave episódio de poluição causada por partículas. A utilização de automóveis particulares foi fortemente restringida durante vários dias. No outro lado do planeta, uma empresa chinesa lançou um novo produto: seguros para o smog destinados a viajantes nacionais que tenham as suas estadias arruinadas pela má qualidade do ar. Então quanto vale o ar limpo? Poderá a economia ajudar-nos a reduzir a poluição? Observemos mais de perto os princípios básicos da economia.

Leitura adicional

O lixo nos nossos mares

Os oceanos cobrem cerca de 70 % da superfície do nosso planeta e há lixo marinho praticamente por toda a parte. O lixo marinho, principalmente os plásticos, ameaça não só a saúde dos nossos mares e costas, mas também a nossa economia e as nossas comunidades. A maior parte desse lixo provém de atividades terrestres. Como poderemos pôr termo ao fluxo de lixo que invade os mares? O melhor sítio para começarmos a resolver este problema global do mar é em terra.

Leitura adicional

Como tornar as cidades «verdes»

Mais de três quartos dos europeus vivem em zonas urbanas. O que a população urbana produz, compra, come e deita fora, o modo como circula e os locais onde vive são aspetos que têm impacte no ambiente. Ao mesmo tempo, a maneira como uma cidade está construída também afeta o modo como os seus habitantes vivem. Entrevistámos Roland Zinkernagel, da Câmara Municipal de Malmö, na Suécia, sobre as medidas concretas que foram tomadas para tornar a sua cidade sustentável.

Leitura adicional

O que nos faz comprar aquilo que compramos?

Os europeus de todas as idades são consumidores. Aquilo que escolhemos consumir e comprar contribui para determinar o que é produzido. Mas como escolhemos o que iremos comprar? Trata-se de uma decisão racional ou impulsiva? Pedimos a Lucia Reisch, da Copenhagen Business School, que nos esclarecesse acerca do comportamento dos consumidores na Europa.

Leitura adicional

Resíduos: um problema ou um recurso?

Os resíduos não constituem apenas um problema ambiental: são também um prejuízo económico. Em média, os europeus produzem 481 quilogramas de resíduos urbanos por ano. Uma percentagem crescente é reciclada ou usada na compostagem, sendo enviados menos resíduos para os aterros. Como poderemos mudar a forma como produzimos e consumimos de modo a produzirmos cada vez menos resíduos, utilizando simultaneamente todos os resíduos como um recurso?

Leitura adicional

Transição para uma economia verde

Tudo depende do ambiente: a nossa qualidade de vida, a nossa saúde e os nossos postos de trabalho. No entanto, a forma e o ritmo a que estamos atualmente a gastar os nossos recursos naturais ameaçam pôr em risco o nosso bem-estar e a capacidade da natureza de prover às nossas necessidades. É essencial transformarmos o modo como produzimos, consumimos e vivemos. Há que tornar a nossa economia mais verde e essa transição tem de começar hoje.

Leitura adicional

Da produção aos resíduos: o sistema alimentar

Cada vez utilizamos mais recursos naturais devido ao crescimento da população, às alterações do estilo de vida e ao crescente consumo pessoal. Para combatermos o nosso consumo insustentável, temos de atuar sobre o sistema de recursos na sua totalidade, incluindo os métodos de produção, os padrões de procura e as cadeias de distribuição. Nesta secção, examinamos mais de perto o caso dos alimentos.

Leitura adicional

Economia: eficiente na utilização dos recursos, verde e circular

O nosso bem-estar depende da utilização dos recursos naturais. Extraímos recursos e transformamo-los em alimentos, edifícios, mobiliário, aparelhos eletrónicos, vestuário, etc. No entanto, a exploração que fazemos dos recursos ultrapassa a capacidade do ambiente para os regenerar e nos sustentar. Como poderemos assegurar o bem-estar da nossa sociedade a longo prazo? Tornar a economia mais verde será sem dúvida uma grande ajuda.

Leitura adicional

Agricultura europeia: como produzir alimentos saudáveis, ecológicos e a preços acessíveis

Para produzir alimentos em quantidade suficiente, a Europa recorre à agricultura intensiva, que prejudica o ambiente e a nossa saúde. Conseguirá a Europa encontrar uma forma de produzir alimentos mais amiga do ambiente? Colocámos esta pergunta a Ybele Hoogeveen, que lidera um grupo de trabalho da Agência Europeia do Ambiente sobre o impacto da utilização dos recursos no ambiente e no bem-estar dos seres humanos.

Leitura adicional

Ambiente, saúde e economia num só programa

A economia europeia ainda está a sentir o impacto da crise económica que deflagrou em 2008. O desemprego e a redução dos salários afetaram milhões de pessoas. Quando os recém-licenciados não conseguem arranjar emprego numa das regiões mais ricas do mundo, será que devemos falar do ambiente? O novo programa de ação da União Europeia em matéria de ambiente faz precisamente isso, e mais ainda. Também identifica o ambiente como parte integrante e inseparável da nossa saúde e da nossa economia.

Leitura adicional

Transformar a mudança em transição

Vivemos num mundo em contínua mudança. Como poderemos dirigir estas mudanças permanentes para alcançar a sustentabilidade mundial em 2050? Como poderemos estabelecer um equilíbrio entre a economia e o ambiente, o curto prazo e o longo prazo? A resposta consiste em sabermos gerir o processo de transição sem ficarmos reféns de sistemas insustentáveis.

Leitura adicional

Poluição atmosférica: o conhecimento é fundamental para a combater

«A boa notícia é que, nas últimas décadas, a situação melhorou substancialmente em termos de exposição a diversos poluentes atmosféricos. No entanto, os poluentes em que alcançámos as reduções mais significativas não são os mais prejudiciais para a saúde humana e o ambiente», afirma Valentin Foltescu, que se dedica à avaliação da qualidade do ar e à comunicação de dados na AEA. Perguntámos a Valentin o que faz a AEA em relação à qualidade do ar e o que nos dizem os dados mais recentes.

Leitura adicional

Cada vez que respiramos

Respiramos desde o momento em que nascemos até ao momento em que morremos. É uma necessidade vital e constante, não só para nós, mas para toda a vida na Terra. A má qualidade do ar afeta-nos a todos: prejudica a nossa saúde e a saúde do ambiente, originando perdas económicas. Mas, então, em que consiste o ar que respiramos e de onde vêm os diversos poluentes atmosféricos?

Leitura adicional

Dublim aborda os impactes da poluição atmosférica na saúde

Martin Fitzpatrick é um dos principais responsáveis pela área da saúde ambiental na unidade de controlo da qualidade do ar e do ruído do Conselho Municipal de Dublim, Irlanda. É também o ponto de contacto em Dublin para um projeto-piloto lançado pela DG Ambiente da Comissão Europeia e pela AEA com vista a melhorar a aplicação da legislação relativa à qualidade do ar. Perguntámos-lhe como é que Dublim lida com os problemas de saúde associados à má qualidade do ar.

Leitura adicional

Legislação relativa à qualidade do ar na Europa

A poluição atmosférica não é igual em todo o lado. Diferentes poluentes são libertados para a atmosfera a partir de uma grande diversidade de fontes. Uma vez na atmosfera, estes podem transformar-se em novos poluentes e espalhar-se por todo o planeta. A conceção e aplicação de políticas para abordar esta complexidade de fatores não são tarefas fáceis. Adiante apresentamos uma síntese da legislação relativa à qualidade ar em vigor na União Europeia.

Leitura adicional

Construir o nosso conhecimento sobre o ar

O nosso conhecimento e entendimento da poluição atmosférica estão a crescer de ano para ano. Possuímos uma rede em expansão de estações de monitorização que transmitem dados sobre uma vasta gama de poluentes atmosféricos, complementados com os resultados dos modelos de qualidade do ar. Temos agora de nos certificar de que o conhecimento científico e a política irão continuar a evoluir de mãos dadas.

Leitura adicional

A qualidade do ar em recintos fechados

Muitos de nós poderemos passar até 90% de nossos dias em recintos fechados - em casa, no trabalho ou na escola. A qualidade do ar que respiramos em recintos fechados também tem um impacte direto na nossa saúde. O que determina a qualidade do ar em recintos fechados? Existe alguma diferença entre os poluentes atmosféricos em recintos fechados e ao ar livre? Como podemos melhorar a qualidade do ar em recintos fechados?

Leitura adicional

Uma questão de química

A química da nossa atmosfera é complexa. A atmosfera contém camadas com diferentes densidades e diferentes composições químicas. Entrevistámos o Professor David Fowler, do Centro de Ecologia e Hidrologia do Conselho de Investigação Ambiental do Reino Unido, sobre os poluentes atmosféricos e os processos químicos na nossa atmosfera que afetam a nossa saúde e o ambiente.

Leitura adicional

Um retrato dos aerossóis à escala mundial

A «poeira africana» proveniente do Sara é uma das fontes naturais de partículas na atmosfera. As condições extremamente secas e quentes no Sara geram turbulência, o que pode impulsionar a poeira até uma altura de 4-5 km. As partículas podem manter se as essas altitudes durante semanas ou meses e, muitas vezes, voam para toda a Europa.

Leitura adicional

As alterações climáticas e o ar

O nosso clima está a mudar. Muitos dos gases causadores das alterações climáticas são igualmente poluentes atmosféricos comuns que afetam a nossa saúde e o ambiente. Em muitos aspetos, a melhoria da qualidade do ar também pode impulsionar os esforços de mitigação das alterações climáticas e vice versa, embora nem sempre seja o caso. O desafio que se coloca consiste em assegurar que as políticas climáticas e de qualidade do ar se focalizem na criação de cenários benéficos para todos.

Leitura adicional

Agência Europeia do Ambiente (EEA)
Kongens Nytorv 6
1050 Copenhagen K
Dinamarca
Telefone: +45 3336 7100