Ambiente e saúde

A Europa não atingirá os seus objetivos para 2030 sem medidas urgentes nos próximos 10 anos para fazer face ao ritmo alarmante da perda de biodiversidade, ao aumento dos impactes das alterações climáticas e ao consumo excessivo de recursos naturais. O último «Relatório sobre o estado do ambiente», da Agência Europeia do Ambiente (AEA), publicado hoje, afirma que a Europa enfrenta desafios ambientais de escala e urgência sem precedentes. No entanto, o relatório refere que há motivos para ter esperança, num contexto de maior sensibilização dos cidadãos para a necessidade de uma transição para um futuro sustentável, de inovações tecnológicas, de crescentes iniciativas comunitárias e de reforço da ação da UE, como o Pacto Ecológico Europeu.

São necessárias medidas direcionadas para proteger melhor os pobres, os idosos e as crianças dos perigos ambientais, como a poluição atmosférica e sonora e as temperaturas extremas, especialmente nas regiões da Europa Oriental e Meridional. Um relatório da Agência Europeia do Ambiente (AEA) publicado hoje alerta para o facto da saúde dos cidadãos europeus mais vulneráveis continuar a ser desproporcionadamente afetada por estes perigos, apesar das melhorias na qualidade ambiental da Europa.

Folheie o nosso catálogo