seguinte
anterior
itens

Mitigação dos efeitos das alterações climáticas

Existem demandas crescentes e concorrentes para a utilização da biomassa na UE, por exemplo para produtos de base biológica em setores como a construção, a energia, os transportes, o mobiliário e as indústrias têxteis, mas também para a conservação da natureza e o sequestro de carbono. O relatório da Agência Europeia do Ambiente (AEA), publicado hoje, salienta a necessidade urgente de dar prioridade às utilizações da biomassa em função dos diferentes papéis previstos para a biomassa no Pacto Ecológico Europeu e à potencial escassez da oferta de biomassa no futuro.

De acordo com as estimativas do último relatório Trends and Projections (Tendências e projeções) da Agência Europeia do Ambiente (AEA), publicado hoje, as emissões de gases com efeito de estufa diminuíram dois por cento no ano passado na União Europeia, em comparação com os níveis de 2021. No entanto, apesar dos ganhos obtidos em termos de redução das emissões, energias renováveis e eficiência energética, o relatório adverte para a necessidade urgente de uma ação acelerada para cumprir as metas ambiciosas da UE em matéria de clima e energia.

Os centros urbanos europeus oferecem aos cidadãos oportunidades de produzir energia renovável como autoconsumidores, de acordo com um briefing da Agência Europeia do Ambiente (AEA), publicado hoje. As cidades podem desempenhar um papel fundamental na mudança da Europa para um futuro hipocarbónico. Facilitar o autoconsumo urbano pode ajudar a acelerar este processo.

Folheie o nosso catálogo

Ações do documento