Artigos

Mudar de idioma
A água limpa é vida, saúde, alimentos, lazer, energia, etc.

A água cobre mais de 70 % da superfície da Terra. Foi na água que a vida na Terra começou, pelo que não é surpreendente que todos os organismos que vivem no nosso planeta azul necessitem de água. A água é, de facto, muitas coisas: uma necessidade vital, um habitat, um recurso local e global, um corredor de transporte e um regulador do clima. E, nos últimos dois séculos, tornou-se o final da viagem para muitos poluentes libertados na natureza e uma mina recentemente descoberta, rica em minerais por explorar. Para podermos continuar a usufruir dos benefícios da água limpa e de oceanos e rios saudáveis, precisamos de alterar radicalmente o modo como utilizamos e tratamos a água.

Leitura adicional

Utilização da água na Europa — A quantidade e a qualidade enfrentam grandes desafios

Os europeus utilizam milhares de milhões de metros cúbicos de água todos os anos, não apenas para abastecimento público, mas também para a agricultura, a indústria transformadora, o aquecimento e o arrefecimento, o turismo e outros setores económicos. Com milhares de lagos, rios e águas subterrâneas disponíveis, a disponibilidade de água na Europa pode parecer ilimitado. Contudo, o crescimento demográfico, a urbanização, a poluição e os efeitos das alterações climáticas, como as secas persistentes, exercem uma enorme pressão sobre a disponibilidade de água na Europa e a sua qualidade.

Leitura adicional

A vida debaixo de água enfrenta ameaças graves

A vida nas massas de água interiores da Europa e nos mares regionais não está bem. O mau estado dos ecossistemas tem um impacto direto em muitos animais e plantas que vivem na água e afeta outras espécies e os seres humanos, que dependem de água limpa. O estado dos mares europeus é terrível, sobretudo devido à sobre-exploração pesqueira e às alterações climáticas, enquanto as massas de água interiores sofrem de nutrientes em excesso e de habitats alterados. A poluição química afeta negativamente tanto as massas de água interiores como os ambientes marinhos.

Leitura adicional

Grande plano — Um oceano de plástico

Os plásticos produzidos em série foram introduzidos em meados do século passado como um material milagroso — leve, moldável, duradouro e forte. Desde então, a produção de plásticos aumentou rapidamente, trazendo muitos benefícios para a sociedade. Atualmente, cerca de 70 anos mais tarde, a produção anual de plásticos é superior a 300 milhões de toneladas, e começámos a compreender a verdadeira herança destes produtos: nunca «desaparecem» completamente do ambiente.

Leitura adicional

Entrevista — Os holandeses dão espaço ao rio

A natureza e a água são indissociáveis. Esta é a lógica subjacente ao programa holandês «Room for the river» (Dar espaço ao rio). Esta abordagem “regresso ao básico” funciona agora como um modelo global em termos de gestão da água e de proteção contra o aumento do risco de inundações ligadas às alterações climáticas. As inundações extremas mais recentes, em 1993 e 1995, serviram de alerta, de acordo com Willem Jan Gossen, do Ministério das Infraestruturas e Gestão dos Recursos Hídricos holandês. Questionou-se o que o programa representa, em termos de proteção sustentável contra as inundações.

Leitura adicional

Grande plano — A água na cidade

Muitas vezes, tomamos como garantido um abastecimento fiável de água segura. Abrimos a torneira e sai água limpa, usamos e a água «suja» escoa-se pelo cano. Para a grande maioria dos europeus, a água que utilizamos em casa é potável, de qualidade e está disponível 24 horas por dia. O breve momento que separa a torneira do cano é apenas uma pequena parte da sua viagem. A gestão da água numa cidade não se limita aos sistemas de água públicos. As alterações climáticas, a expansão urbana e as alterações físicas das bacias hidrográficas podem conduzir a inundações mais frequentes e prejudiciais nas cidades, fazendo com que as autoridades sejam confrontadas com um desafio cada vez maior.

Leitura adicional

Entrevista — Malta: a escassez de água faz parte da vida

Malta é um dos 10 países com maior escassez de água em todo o mundo. O que fazer quando a natureza fornece apenas metade da água de que a população necessita? Malta «produz» água limpa e tenta garantir que não seja desperdiçada nem uma gota. Falámos com Manuel Sapiano, da Agência da Energia e da Água, em Malta, sobre novas tecnologias, a água para os agregados familiares e para a agricultura, e as águas balneares transparentes que rodeiam a ilha.

Leitura adicional

Governação — Água em movimento

A água está em constante movimento. A água também facilita a circulação dos navios, dos peixes e de todos os outros animais e plantas que vivem na água. A saúde dos rios, lagos e oceanos deve ter em conta a circulação da água através das fronteiras geopolíticas. Neste contexto, a cooperação regional e internacional tem sido profundamente integrada nas políticas da União Europeia relacionadas com a água desde a década de 1970.

Leitura adicional

Alterações climáticas e água — Oceanos mais quentes, inundações e secas

As alterações climáticas aumentam a pressão sobre as massas de água. Das inundações e das secas até à acidificação dos oceanos e à subida dos níveis do mar, os impactos das alterações climáticas na água deverão intensificar-se nos próximos anos. Estas mudanças estão a impulsionar ações em toda a Europa. As cidades e as regiões já estão a adaptar-se, utilizando soluções mais sustentáveis e baseadas na natureza para reduzir o impacto das inundações e utilizar a água de formas mais inteligentes e sustentáveis, que nos permitam viver em situação de seca.

Leitura adicional

Ações do documento