seguinte
anterior
itens

Notícias

Novo visualizador da qualidade do ar urbano europeu permite consultar níveis de poluição atmosférica por cidade

Mudar de idioma
Notícias Publicado 2021-06-17 Modificado pela última vez 2021-06-28
4 min read
Photo: © Ula Peiciute on Flickr
A poluição atmosférica é um problema grave em muitas cidades europeias, representando um risco real para a saúde. A Agência Europeia do Ambiente (AEA) lançou hoje o visualizador da qualidade do ar urbano europeu. Com este visualizador pode consultar a qualidade do ar dos últimos dois anos na cidade em que vive e compará-la com outras cidades da Europa.

No novo visualizador da qualidade do ar da AEA, as cidades são ordenadas da mais limpa para a mais poluída, com base nos níveis médios de partículas finas, ou PM2.5, dos últimos dois anos.

Entre 2019 e 2020, as três cidades da Europa mais limpas em termos qualidade do ar foram Umeå, na Suécia, Tampere, na Finlândia, e Funchal, em Portugal. As três mais poluídas foram Nowy Sacz na Polónia, Cremona na Itália e Slavonski Brod na Croácia. 

Das 323 cidades incluídas no visualizador, 127 são classificadas com boa qualidade do ar, o que significa que o nível de poluição fica abaixo da directriz para exposição prolongada a PM2.5 de 10 microgramas por metro cúbico de ar (10 μg/m 3), estabelecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS). 

A União Europeia estabeleceu o valor limite anual de 25 μg/m3 para PM2.5, no âmbito das políticas destinadas a proporcionar ar limpo na Europa. O visualizador classifica a qualidade do ar a longo prazo como péssima se os níveis de PM2.5 forem iguais ou superiores a este valor limite, estando cinco cidades na Polónia, Croácia e Itália incluídas nesta categoria. 

As partículas finas são o poluente atmosférico com maior impacto na saúde, podendo causar mortes prematuras e doenças. O visualizador fornece informação sobre a qualidade do ar a longo prazo em cada cidade. A exposição prolongada a PM2.5 provoca doenças cardiovasculares e respiratórias. 

Apesar da melhoria acentuada da qualidade do ar verificada na Europa ao longo da última década, a mais recente avaliação anual da qualidade do ar feita pela AEA concluiu que, em 2018, a exposição a partículas finas causou cerca de 417 000 mortes prematuras em 41 países europeus.

Embora a qualidade do ar tenha melhorado significativamente nos últimos anos, a poluição atmosférica continua a ser persistentemente elevada em muitas cidades europeias. Este visualizador da qualidade do ar urbano permite ao cidadão consultar de uma forma fácil a situação da sua cidade em matéria de poluição atmosférica, em comparação com outras. O visualizador fornece informações concretas e locais que podem empoderar os cidadãos a instarem as autoridades locais a resolverem estes problemas. Isto ajudar-nos-á na concretização dos objetivos da UE em matéria de poluição zero

Hans Bruyninckx, Diretor Executivo da AEA

 


Modo de funcionamento do visualizador

O visualizador fornece dados sobre os níveis de partículas finas em mais de 300 cidades de países membros da AEA, com base nos dados que estes comunicam à AEA ao abrigo das diretivas relativas à qualidade do ar ambiente. Os dados provêm de medições de PM2.5 efetuadas por mais de 400 estações de monitorização em zonas urbanas e suburbanas. Estas estações proporcionam uma imagem robusta da exposição da população à poluição atmosférica. 

As medições e classificações baseiam-se na concentração média anual de PM2.5 dos dois últimos anos, utilizando os dados do ano mais recente e os dados validados da qualidade do ar do ano precedente. A tabela classifica as cidades europeias de acordo com os níveis médios de partículas finas nos dois últimos anos completos. Futuramente, a AEA irá investigar a integração de outros poluentes atmosféricos importantes no novo visualizador. 

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estabeleceu uma directriz baseada nos efeitos da exposição prolongada a partículas finas de 10 microgramas por metro cúbico de ar (10 μg/m3) sobre a saúde. A União Europeia estabeleceu o valor limite anual de 25 μg/m3 para as partículas finas no âmbito das políticas destinadas a proporcionar ar limpo na Europa. 

O visualizador inclui os seguintes níveis de qualidade do ar: 

  • Bom para níveis de partículas finas inferiores a 10 μg/m3, a directriz definida pela OMS;
  • Médio para níveis iguais ou superiores a 10 e inferiores a 15 μg/m3;
  • Mau para níveis iguais ou superiores a 15 e inferiores a 25 μg/m3;
  • Péssimo para níveis iguais ou superiores a 25 μg/m3, o valor-limite da União Europeia.

Note-se que nem todas as cidades estão incluídas. O conjunto de dados inclui cidades que fazem parte da Auditoria Urbana da Comissão Europeia e que têm mais de 50 000 habitantes. Não estão incluídas as cidades sem estações de monitorização urbanas ou suburbanas, nem as cidades para as quais esses dados cubram menos de 75 % dos dias do ano.

Outros produtos de qualidade do ar da AEA 

Se quiser saber qual é a qualidade do ar da sua cidade neste preciso momento, consulte o Índice Europeu de Qualidade do Ar. Este índice apresenta informações sobre a qualidade do ar nos últimos dois dias e uma previsão de 24 horas, juntamente com recomendações de saúde para uma exposição de curto prazo à poluição atmosférica. Abrange também uma gama mais vasta de poluentes atmosféricos, incluindo partículas, dióxido de azoto, dióxido de enxofre e ozono. 

Mais informações sobre os impactos da poluição atmosférica na saúde na Europa estão disponíveis aqui. 

Consulte aqui o último relatório anual da Agência Europeia do Ambiente sobre a qualidade do ar na Europa.

Permalinks

Geographic coverage

Temporal coverage

Ações do documento