Você está aqui: Entrada / Temas / Energia / Energia

Energia

Mudar de idioma
Página Modificado pela última vez 2013-12-09 14:16
Fundamental para a produção de riqueza industrial, comercial e social, a energia proporciona igualmente conforto e mobilidade pessoal. No entanto, a sua produção e o seu consumo exercem uma pressão considerável sobre o ambiente: emissões de gases com efeito de estufa e de poluentes atmosféricos, uso dos solos, geração de resíduos e derrames de petróleo. Esta pressão contribui para as alterações climáticas, danifica ecossistemas naturais e o ambiente antropogénico, e tem efeitos adversos na saúde humana.

Muitas atividades humanas requerem a combustão de combustíveis fósseis, que aumenta as concentrações de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera e, em consequência, provoca alterações climáticas e aumenta as temperaturas médias no planeta. A procura de energia está a aumentar em todo o mundo, o que reforça a tendência para o aumento das emissões de CO2.

A maior parte dos países depende dos combustíveis fósseis (petróleo, gás e carvão) para responder às suas necessidades de energia. A combustão desses combustíveis liberta calor que pode ser convertido em energia. No processo, o carbono existente no combustível reage em contacto com o oxigénio, produzindo CO2 que é libertado na atmosfera. São igualmente libertados poluentes atmosféricos (dióxido de enxofre, óxidos de azoto e partículas), que têm impacto na qualidade do ar. Contudo, graças a medidas técnicas e a melhorias introduzidas nas centrais elétricas e térmicas, essas emissões têm vindo a diminuir nas últimas décadas.

Em 2006, a Europa atingiu o nível mais elevado de consumo de energia; em 2010, o consumo de energia ficou aquém desse nível em cerca de 4%. Parte desta redução pode ser atribuída à crise económica, embora para esta tenha igualmente contribuído uma ligeira dissociação da atividade económica do consumo de energia.

Os combustíveis fósseis continuam a dominar o universo dos combustíveis: cerca de 77% das necessidades energéticas do europeu médio são satisfeitas com recurso ao petróleo, ao gás e ao carvão. A energia nuclear satisfaz 14% dessas necessidades, enquanto os restantes 9% são satisfeitos com recurso a fontes de energia renováveis. Não obstante, a produção de energias renováveis está a aumentar a bom ritmo: em 2010, a energia solar fotovoltaica foi a principal responsável pelas novas capacidades instaladas, seguida do gás e da energia eólica. No que respeita à energia nuclear, as capacidades desativadas superaram as instaladas.

Um europeu médio consome anualmente 27 megawatt/hora (MWh) de energia, incluindo todas as utilizações domésticas, industriais e de transportes. Este número varia consideravelmente consoante os países, da mesma forma que variam as emissões de CO2 associadas a esse consumo, que dependem, em grande medida, do grau de utilização de energia nuclear e de energias renováveis. Os transportes, que desde 1990 são o setor cujo consumo de energia tem aumentado com maior celeridade, são presentemente o setor que mais energia consome.

Políticas da União Europeia

A energia constitui cada vez mais uma prioridade política, sendo um dos cinco principais domínios em desenvolvimento visados pela Estratégia 2020 com o objetivo de:

  • Obter 20% da energia consumida na Europa a partir de fontes renováveis;
  • Aumentar em 20% a eficiência energética.

A par dos objetivos específicos da Estratégia Energia 2020, outras áreas de interesse são abrangidas por diferentes políticas, sintetizadas no sítio Web da Comissão Europeia. Essas políticas visam:

Atividades da AEA

Uma das principais atividades da AEA no domínio da energia consiste em acompanhar a integração das preocupações ambientais no setor da energia. Existe um conjunto de indicadores energéticos e ambientais que é atualizado e publicado todos os anos. A AEA publica ainda avaliações dos benefícios e pressões previsíveis para o ambiente de diferentes proporções de energias renováveis.

Os indicadores energético‑ambientais respondem a seis perguntas:

  • Está o impacto do consumo e da produção de energia no ambiente a diminuir?
  • Está o consumo de energia a diminuir?
  • A que ritmo está a eficiência energética a aumentar?
  • Estão os combustíveis menos poluentes a substituir os combustíveis mais nocivos?
  • A que ritmo estão as tecnologias energéticas renováveis a ser implementadas?
  • Estão os custos ambientais a ser mais bem integrados nos preços?

Os indicadores desempenham um papel igualmente importante:

  • no acompanhamento da Estratégia da União Europeia em favor do desenvolvimento sustentável;
  • na elaboração do relatório sobre o inventário dos gases com efeito de estufa da UE a transmitir à Convenção‑Quadro das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (CQNUAC);
  • na elaboração de relatórios sobre as tendências e projeções das emissões de gases com efeito de estufa na Europa, no âmbito do Protocolo de Quioto.

A AEA realiza ainda avaliações dos benefícios e pressões para o ambiente resultantes da utilização de uma proporção crescente de energias renováveis, que incluem:

Geographic coverage

Europe
Ações do documento
Subscrições
Inscrever-se para receber os nossos relatórios (em versão em papel e/ou eletrónica) e o boletim informativo eletrónico trimestral.
Siga-nos
 
 
 
 
 
Agência Europeia do Ambiente (EEA)
Kongens Nytorv 6
1050 Copenhagen K
Dinamarca
Telefone: +45 3336 7100